Segurança Institucional foi tema no último dia do programa de intercâmbio do STF

Por Leandro Caetano

No segundo painel da manhã (13/05), Rogério Galloro, assessor especial da Presidência do STF e ex-diretor-geral da Polícia Federal, falou sobre inteligência e segurança institucional no Supremo. Ele destacou que a Polícia Judicial, criada pela Resolução 344/2020, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), é destinada a assegurar a boa ordem dos trabalhos do tribunal, a proteger a integridade dos seus bens e serviços e a garantir a incolumidade dos magistrados, servidores, advogados, partes e demais frequentadores das dependências físicas dos tribunais.

Segundo Galloro, o órgão realiza investigações preliminares e interage com unidades de segurança de outros órgãos públicos na execução de atividades comuns ou de interesse do tribunal. No STF, a Assessoria de Segurança de Informação dá suporte à equipe de resposta a incidentes cibernéticos, avalia a segurança dos sistemas do Supremo, participa do Comitê de Segurança Cibernética do Poder Judiciário, implanta ações de conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e apoia ações de segurança institucional.

Fonte: STF