Polícia reforça segurança de Teori e do STF após ameaças

23 de março de 2016 - 14h25

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, determinou nesta quarta-feira (23), que a Força Nacional, a Polícia Federal, além do Gabinete de Segurança da Presidência da República reforcem a segurança dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). "A própria polícia do STF também está em alerta máximo." 

Medida foi tomada após um grupo intitulado La Banda Vida Loka fazer ataques em frente à residência do ministro Teori Zavascki, depois que ele determinou que o juiz Sérgio Moro remeta para o STF o caso relacionado ao grampos ilegais de conversas entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Relator da Lava-Jato no Supremo, Teori não derrubou a decisão do ministro Gilmar Mendes, que suspendeu a posse de Lula como ministro da Casa Civil, mas revogou o trecho da decisão que determinava que as investigações sobre Lula ficassem com Moro.Liderados pelo grupo La Banda Loka Liberal, os manifestantes penduraram faixas no portão em frente à residência do ministro, onde se lia frases como "Teori Zavascki pelego do PT" e "Teori traidor". O evento chegou a ser transmitido ao vivo pelo Facebook, através da página do grupo, e recebeu comentários de apoio. 

O Movimento Brasil Livre (MBL) também está fazendo inicitações para que haja pressão contra Teori, inclusive pedindo uma ocupação em frente à Corte. 

O MBL divulgou, inclusive, os contatos do ministro no Supremo, como telefone e e-mail, e divulgou a hashtag #OcupaSTF. Em outra postagem, o movimento chamou o ministro de "petralha": "Brasileiros e Brasileiras, acabou, o golpe foi dado! #TeoriPetralha manda investigação ao STF, isso ñ vai prosperar! Vamos #OcupaSTF e fim!".O músico Lobão também tem espalhado o endereço da casa do filho do ministro em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde ocorreu manifestação com faixas em defesa do juiz Sérgio Moro. 

Do Portal Vermelho, com Brasil 247