PMMG Realiza Treinamento de Policiais judiciais da JFMG

Por Leandro Caetano

Na manhã da última segunda, sete de fevereiro, servidores ligados à área de segurança da SJMG receberam a primeira aula do Curso Básico de Formação de Polícia Judicial. O local de treinamento foi o CTP (Centro de Treinamento Policial) da Academia da Polícia Militar de Minas Gerais e contou com a presença dos juízes federais Reginaldo Márcio Pereira e Vânila Cardoso de Moraes, Diretora do Foro da Seção Judiciária. O curso segue até o dia 18 de março do corrente ano e a primeira turma deve qualificar quinze agentes da polícia judicial.

De acordo com a Diretora do Foro, trata-se de um "curso de capacitação de alto nível", que dá prosseguimento ao projeto da CEPOI (Central de Policiamento Institucional), iniciado em 2021 durante uma oficina no IluMinas (Laboratório de Inovação da Justiça Federal mineira). Na ocasião, a iniciativa foi apresentada a magistrados como um ganho estratégico para a Seção Judiciária, uma vez que possibilitará ações internas de inteligência e contrainteligência. "A qualificação é uma das etapas necessárias para a efetiva implantação da CEPOI", esclarece o supervisor da SEVIT (Seção de Segurança, Vigilância e Transporte) Jamilton Bitencourt Guedes.

Para tanto, a SJMG firmou em 2021 um convênio com a PMMG com o objetivo de capacitar sua polícia institucional, e um plano de treinamento começou a ser desenvolvido. Em módulo único e presencial, o curso contará com uma carga horária de 190 horas, com aulas de manhã e à tarde. Dentre as disciplinas teóricas e práticas previstas no conteúdo programático, estão Armamento e Tiro, Medidas de Autoproteção, Pronto-Socorrismo e Atendimento Pré-Hospitalar, Noções Básicas de Comunicações Operacionais, e Noções Básicas de Proteção Institucional.

A aula inaugural do curso de formação foi dada pelo juiz Reginaldo Pereira. Ele lembra que a preocupação com a segurança interna não é algo recente. "A busca pela formação adequada na Seção Judiciária de Minas Gerais já vem ocorrendo há vários anos, desde a gestão do Dr. Miguel Ângelo". Já sob um ponto de vista mais amplo, ele ressalta ainda que tanto o Conselho Nacional de Justiça quanto o Conselho da Justiça Federal vinham dando mais atenção ao tema da segurança desde 2017.

Fonte: SJMG