Homem faz juíza refém e ameaça atear fogo no Fórum

Indivíduo aparentava sofrer distúrbios psicológicos; ele foi detido e encaminhado ao hospital

Por: Diário SP Online

Uma juíza foi feita refém na tarde desta quarta-feira (30), por volta das 14h, após um homem invadir e ameaçar colocar fogo no Fórum da Regional XV Butantã, na Zona Oeste da capital. Ele aparentava sofrer distúrbios psicológicos.

Informações preliminares apontam que o homem entrou no local com bolsas e garrafas, supostamente abastecidas de combustível, e jogou o líquido pela escadaria do Fórum, ameaçando, com um isqueiro, atear fogo. Ele ainda jogou o conteúdo em seu corpo e no da refém.

O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) foi acionado para verificar se a substância despejada é inflamável e, assim, garantir a segurança de todos os trabalhadores.

O indivíduo, que não teve a identidade revelada, foi encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital Universitário. Após receber as medicações necessárias, ele será encaminhado ao 51º Distrito Policial, onde o caso será registrado.

Apoio institucional

Em nota, a Associação Paulista de Magistrados (Apamagis) classificou o incidente ocorrido nesta quarta-feira (30/3) como "grave e inusitado atentado" e cobrou a criação de uma política nacional de segurança para os magistrados. "Repudiamos qualquer ato de violência e reiteramos a necessidade de que os membros da Magistratura tenham proteção contra atos que atentem contra sua integridade física, coloquem em risco suas vidas e afetem diretamente o Poder Judiciário."

Leia a nota:

Nota de repúdio à violência contra magistrada

A Apamagis (Associação Paulista de Magistrados) vem a público manifestar integral apoio e solidariedade à nossa colega juíza da Vara de Violência Doméstica, do Foro Regional do Butantã, alvo, nesta data, de grave e inusitado atentado, praticado provavelmente por pessoa que estava sob a sua jurisdição, que invadiu o prédio público munido de líquido inflamável fazendo a magistrada de refém.

Repudiamos qualquer ato de violência e reiteramos a necessidade de que os membros da Magistratura tenham proteção contra atos que atentem contra sua integridade física, coloquem em risco suas vidas e afetem diretamente o Poder Judiciário. Essa proteção só se efetivará quando da criação de uma política nacional de segurança eficaz aos magistrados.

Sempre é importante afirmar que um Poder Judiciário forte e independente é o pilar de sustentação do Estado Democrático de Direito e seus integrantes devem ter total proteção do Estado para o desempenho do exercício de suas funções.

A Apamagis confia nas autoridades na célere e eficaz apuração destes fatos ocorridos no Foro Regional do Butantã e desde já agradece as manifestações de solidariedade de outras instituições ligadas à Justiça.